Clique nos planetas para ir direto para eles
Home > Sol > Saturno > Dione

Busca no site:

Peça já o seu e-mail (nome@astronomia.web.st) do Astronomia na Web, com Tecnologia do Google. Acesse o Formulário de Solicitação e garanta o seu.




Dione

Saturno IV

   Dione ( "dy OH nee" ) é o décimo-segundo dos satélites conhecidos de Saturno:
órbita:   377.400 km de Saturno
diâmetro: 1.120 km massa: 1,05e21 kg
   Na mitologia grega Dione era a mãe de Aphrodite (Vênus) com Zeus (Júpiter).

   Descoberta por Cassini em 1684.

   Dione é a mais densa das luas de Saturno (fora Titan, cuja densidade é aumentada pela compressão gravitacional). Ela é composta basicamente de gelo de água, mas deve ter uma considerável fração de material denso como rochas de silício.

   Embora menor, Dione é muito parecida com Rhea. Ambas tem composição similar,  estruturas de albedo e terreno variado. Ambas giram sincronamente e tem diferentes hemisférios, aquele voltado para o planeta e aquele que está oculto.

    No hemisfério oculto há uma rede de ranhuras brilhantes em um fundo escuro e poucas crateras visíveis (esquerda). As ranhuras se superpõe às crateras, indicando que elas são mais novas.

   O hemisfério voltado para o planeta é cheio de crateras e uniformemente brilhante (direita). Como Callisto, faltam nas crateras as estruturas altas vistas na Lua e em Mercúrio.

   Isto é interpretado assim: logo após a sua formação Dione era ativa. Alguns processos (vulcanismo de gelo?) refizeram a maior parte da superfície Dione deixando o padrão de rachaduras, provavelmente em toda a superfície. Depois, após a atividade interna e o refazimento da superfície cessarem, uma série de impacto menos intensa (que deixou crateras muito pequenas para ser vista nas imagens da Voyager) ocorreu. Isto foi concentrado no hemisfério voltado para o planeta e varreu dele as rachaduras mas as deixou intactas no lado oculto.

E como acontece com frequência na ciência e para deleite de todos os envolvidos, os novos dados mostram que as hipóteses anteriores estavam erradas. Imagem de maior resolução obtidas pela Cassini mostram claramente que as rachaduras não são fluxos de gelo mas sim uma complexa rede de fraturas tectônicas que são mais jovens que a maioria das crateras (esquerda).

   órbita de Helene está no ponto de Lagrange à frente de Dione. A pequena lua Polydeuces (S/2004 S5), descoberta pela Cassini em 2004, ocupa o ponto de Lagrange à ré.

Mais sobre Dione


Helene

   

Saturno XII

   Helene é o décimo-terceiro dos satélites conhecidos de Saturno:

órbita:   377.400 km
diâmetro: 33 km (36 x 32 x 30)
massa:    ?

   Helene é o nome da Amazona que combateu com Achilles.

   Descoberta por Laques e Lecacheux em 1980 de telescópios na Terra.

   Helene está no ponto de Lagrange à frente da órbita de Dione e algumas vezes também é chamada de "Dione B".

Mais sobre Helene


Questões em aberto

  • Como Helene foi parar no ponto de Lagrange de Dione? Ela é um fragmento de um antigo corpo maior?
  • Qual foi a causa das mudanças na superfície? Por quê só foram deixadas estruturas de albedo em Dione?
  • Por quê existem tão poucas crateras no hemisfério oculto?
  • Por quê faltam em Dione estruturas como os vales profundos de Tethys?

Onde ir em Seguida


Contents ... Saturno ... Tethys ... Dione / Helene ... Rhea ... Dados ... Astronomia na Web

Copyright © 1994-2017 by William A. Arnett; última atualização: 02/10/2010


Traduzido por Luis Gustavo Gabriel