Clique nos planetas para ir direto para eles
Home > Sol > Júpiter > Ganymede

Busca no site:

Peça já o seu e-mail (nome@astronomia.web.st) do Astronomia na Web, com Tecnologia do Google. Acesse o Formulário de Solicitação e garanta o seu.




Ganymede

ganymede

Júpiter III

Ganymede ("GAN uh meed") é o sétimo e maior dos satélites conhecidos de Júpiter. Ganymede é a terceira das luas Galileanas.

órbita:    1,070,000 km de Júpiter
diâmetro:  5262 km
massa:     1.48e23 kg

Ganymede era um menino troiano de grande beleza a quem Zeus levou para ser copeiro dos deuses.

Descoberto por Galileo e Marius em 1610.

Ganymede é o maior satélite no sistema solar. É maior em diâmetro que Mercúrio mas tem somente metade de sua massa. Ganymede é muito maior que Plutão.

Antes dos encontros da Galileo com Ganymede pensava-se que Ganymede e Callisto eram compostos de um núcleo rochoso cercado por um manto grande de água ou gelo de água com uma superfície de gelo (e que Titan e Triton eram semelhantes). Indicações preliminares dos dados da Galileo sugerem agora que Callisto tem uma composição uniforme enquanto Ganymede é diferenciado em uma estrutura de três camadas: um pequeno núcleo de ferro fundido ou de ferro/enxofre cercado por um manto de silicato rochoso e com uma casca congelada no topo. Na realidade, Ganymede pode ser semelhante a Io com uma adicional camada exterior de gelo.

A superfície de Ganymede é uma mistura aproximadamente igual de dois tipos de terreno: regiões escuras cheias de crateras muito velhas, (esquerda), e uma regiões mais claras um pouco mais jovens (mas ainda assim antigas) com uma extensa cadeia de vales e cumes (direita). A origem delas é claramente de uma natureza tectônica, mas os detalhes são desconhecidos. Neste aspecto, Ganymede pode ser mais semelhante com a Terra que Vênus ou Marte (entretanto não há nenhuma evidência de recente atividade tectônica).

Evidências de uma atmosfera de oxigênio tênue em Ganymede, bem parecida com aquela achada em Europa, pelo HST (note que isto não é definitivamente evidência de vida).

Terreno semelhante com cumes e vales é visto em Enceladus, Miranda e Ariel. As regiões escuras são semelhantes à superfície de Callisto.

Uma grande quantidade de crateras é vista em ambos os tipos de terreno. A densidade de crateras indica uma idade de 3 a 3,5 bilhões anos, semelhante à Lua. As crateras se superpõe e são cortadas pelos sistemas de vales indicando que os vales são bastante antigos, também. Crateras relativamente jovens com raios de ejecta também são visíveis (esquerda).

Diferente da Lua, entretanto, as crateras são bastante planas, carecendo das montanhas de anel e depressões centrais comuns nas crateras da Lua e Mercúrio. Isto provavelmente está devido à natureza relativamente fraca da crosta fria de Ganymede que pode fluir ao longo do tempo geológico e assim abrandar o relevo. Crateras antigas cujo relevo desaparecm, deixando só uma "marca" de uma cratera são conhecidos como palimpsestos (direita).

O primeiro sobrevôo da Galileo em Ganymede descobriu que Ganymede tem seu próprio campo de magnetosfera embutido dentro da enorme magnetosfera de Júpiter é. Isto provavelmente é gerado de uma forma semelhante que a da Terra: como resultado do movimento de material condutor em seu interior.

Mais sobre Ganymede

Questões em Aberto

  • Que processos criaram os terrenos com baixos cumes e vale?
  • Por que Ganymede e Callisto são tão diferentes?

Onde ir em Seguida


Contents ... Júpiter ... Europa ... Ganymede ... Callisto ... Dados ... Astronomia na Web

Copyright © 1994-2017 by William A. Arnett; última atualização: 02/10/2010


Traduzido por Luis Gustavo Gabriel