Clique nos planetas para ir direto para eles
Home > Sol > Mercúrio

Busca no site:

Peça já o seu e-mail (nome@astronomia.web.st) do Astronomia na Web, com Tecnologia do Google. Acesse o Formulário de Solicitação e garanta o seu.




Mercúrio

O Mensageiro Alado

   Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol e o oitavo maior. Mercúrio é menor em diâmetro que Ganymede e Titan mas com o dobro da massa.

órbita:   57.910.000 km (0,38 AU) do Sol
diâmetro: 4.880 km
massa: 3,30 x 10²³ kg
   Na mitologia Romana Mercúrio é o deus do comércio, viagem e roubo, a reprodução Romana do deus Grego Hermes, o mensageiro dos Deuses. O planeta provavelmente recebeu este nome porque ele cruza rapidamente o céu.

   Mercúrio é conhecido pelo menos desde o tempo dos Sumérios (3º milénio AC). Ele recebeu dois nomes dos Gregos: Apollo por sua aparição como uma estrela matutina e Hermes como uma estrela do anoitecer. Os astrônomos Gregos sabiam, entretanto, que os dois nomes se referiam ao mesmo astro. Heraclitus acreditava até que Mercúrio e Vênus orbitavam o Sol, não a Terra.

   Mercúrio foi visitado por apenas uma espaçonave, Mariner 10. Ela sobrevôou por três vezes em 1974 e 1975. Somente 45% da superfície foi mapeada (e, infelizmente, está muito próximo do Sol para ser fotografado com segurança pelo HST).

   A órbita de Mercúrio é altamente excêntrica; no periélio ele está somente a 46 milhões de km do Sol mas no afélio ele está a 70 milhões. O periélio de sua órbita avança em torno do Sol numa razão muito baixa. No século 19 os astrônomos fizeram observações muito cuidadosas dos parâmetros orbitais de Mercúrio mas não puderam explicá-las adequadamente usando a mecânica Newtoniana. As pequenas diferenças entre os valores observados e os previstos foram problemas secundários porém irritantes durante várias décadas. Pensava-se que poderia existir um outro planeta (às vezes chamado de Vulcan) em uma órbita próxima a de Mercúrio responsável pela discrepância. A verdadeira resposta mostrou se ser muito mais dramática: a Teoria Geral da Relatividade de Einstein! A sua predição correta dos movimentos de Mercúrio foi um fator importante para a rápida aceitação da teoria.

   Até 1962 se achava que o "dia" de Mercúrio tinha a mesma duração que o seu "ano" de forma que ele mantivesse a mesma face para o Sol assim como a Lua faz com a Terra. Mais isto mostrou ser falso em 1965 com observações feitas com radar doppler. Agora é sabido que Mercúrio rotaciona três vezes a cada dois de seus anos. Mercúrio é o único astro conhecido no sistema solar a ter uma ressonância orbital/rotacional com uma relação diferente de 1:1 (embora muitos nem rotação tenham).

   Este fato e a alta excentricidade da órbita de Mercúrio produziriam efeitos muito estranhos em um observador na superfície de Mercúrio. Em algumas longitudes o observador veria o Sol nascer e então aumentar gradativamente em seu tamanho aparente à medida que fosse se dirigindo ao zênite. Neste ponto o Sol pararia, mudaria brevemente de curso, e pararia de novo antes de retomar seu caminho em direção ao horizonte e diminuir no seu tamanho aparente. Ao mesmo tempo as estelas estariam se movendo três vezes mais rápido pelo céu. Observadores em outros pontos da superfície de Mercúrio veriam movimentos diferentes mas igualmente bizarros.

   As variações de temperatura em Mercúrio são as mais extremas no sistema solar variando de 90 K a 700 K. A temperatura em Venus é levemente mais quente porém mais uniforme.

   Mercúrio é de muitas formas semelhante à Lua: sua superfície tem uma grande quantidade de crateras e é muito antiga; não possui placas tectônicas. Por outro lado, Mercúrio é muito mais denso que a Lua (5.43 gm/cm³ vs 3.34). Mercúrio é o segundo astro principal mais denso no sistema solar, após a Terra. A densidade da Terra é devida em parte à compressão gravitacional; se não fosse por isso, Mercúrio seria mais denso que a Terra. Isto indica que o núcleo de ferro denso de Mercúrio é relativamente maior que o da Terra, provavelmente compreendendo a maior parte do planeta. Mercúrio tem então somente um relativamente fino manto de silicato e crosta.

   O interior de Mercúrio é dominado por um grande núcleo de ferro cujo raio é de 1800 a 1900 km. A capa externa de silicato (análoga à crosta e o manto da Terra) tem somente 500 a 600 km de espessura. Pelo menos uma parte do núcleo está provavelmente derretida.

   Mercúrio atualmente tem uma atmosfera muito fina consisitindo de átomos ejetados de sua superfície pelo vento solar. Por e Mercúrio ser tão quente, estes átomos escapam rapidamente para o espaço. Dessa forma, em contraste com a Terra e Vênus cujas atmosferas são estáveis, a atmosfera de Mercúrio está constantemente sendo reposta.

   A superfície de Mercúrio exibe enormes escarpas, alguns com centenas de quilômetros de comprimento e até três quilômetro de altura. Alguns cruzam os anéis das crateras enquanto outros se apresentam de tal forma que indicam terem sido formados por compressão. É estimado que a área de superfície de Mercúrio encolhe cerca de 0.1% (ou um decréscimo de 1 km no raio do planeta).

   Um dos maiores acidentes na superfície de Mercúrio é a Cratera Caloris (direita); ela tem cerca de 1300 km de diâmetro. Acredita-se que ela seja similar às grandes crateras (maria) na Lua. Assim como as crateras lunares, ela foi causada provavelmente por um impacto muito grande nos primórdios da história do sistema solar. Este impacto provavelmente foi também o responsável pelo diferente terreno no lado exatamente oposto do planeta (esquerda).

   Além do terreno repleto de crateras, Mercúrio tem também regiões de relativamente planícies lisas. Algumas podem ser resultado de antiga atividade vulcânica mas algumas podem ser resultado da deposição de material ejetado (ejecta) de crateras de impacto.

   Uma reanálise dos dados da Mariner fornece algumas evidências preliminares de recente vulcanismo em Mercúrio. Mas outros dados serão necessários para confirmar.

   Espantosas, observações de radar do pólo norte de Mercúrio (uma região não mapeada pela Mariner 10) mostram evidências de água congelada nas sombras protegidas de algumas crateras.

   Mercúrio tem um pequeno campo magnético cujo poder é de cerca de 1% do da Terra.

   Mercúrio não tem satélites conhecidos.

   Mercúrio é geralmente visível com binóculos ou mesmo a olho nu, mas está sempre muito perto do Sol e difícil de ver no céu ao anoitecer. Existem vários Web sites que mostram a posição atual de Mercúrio (e outros planetas) no céu. Cartas mais detalhadas e customizadas podem ser criadas com um programa de planetário tal como o Starry Night.

Mais sobre Mercúrio

Questões em Aberto

  • A densidade de Mercúrio (5.43 gm/cm³) é praticamente tão alta quanto a da Terra. Mesmo assim em outros aspectos se parece mais com a Lua. Será que ele perdeu suas rochas mais leves em algum impacto catastrófico nos primórdios?
  • Nenhum traço de ferro foi encontrado nos estudos espectroscópicos da superfície de Mercúrio. Sendo assim seu grande núcleo de ferro é muito estranho. Será que Mercúrio é muito mais diferente que os outros planetas terrestres?
  • Que processos produziram as planícies lisas de Mercúrio?
  • Existem muitas surpresas na outra metade da superfície que nós não vimos? Imagens de radar em baixa resolução obtidas da Terra mostram que não há surpresas, mas nunca se sabe.
  • A ESA também enviará uma espaçonave para orbitar Mercúrio chamada BepiColombo.

Onde ir em Seguida


 ... Sol ... Mercúrio ... Vênus  Astronomia na Web

Copyright © 1994-2014 by William A. Arnett; última atualização: 03/10/2010


Traduzido por Luis Gustavo Gabriel