Clique nos planetas para ir direto para eles
Home > Sol

Busca no site:

Peça já o seu e-mail (nome@astronomia.web.st) do Astronomia na Web, com Tecnologia do Google. Acesse o Formulário de Solicitação e garanta o seu.




O Sol

Sol

   O Sol é uma estrela comum G2, uma das mais de 100 bilhões de estrelas de nossa galáxia.

diâmetro:    1.390.000 km.
massa:       1,989 x 10³º kg
temperatura: 5.800 K (superfície) e 15.600.000 K (núcleo)

   O Sol é de longe o maior objeto no sistema solar. Ele contém mais que 99.8% da massa total do Sistema Solar (Júpiter coontém a maior parte do resto).

   Geralmente é dito que o Sol é uma estrela "ordinária". É verdade no sentido de que existem muitos outros objetos similares a ele. Mas existem muito mais estrelas menores que maiores; o Sol está entre as 10% maiores em massa. O tamanho médio das estrelas em nossa galáxia tem provavelmente metade da massa do Sol.

   O Sol é personificado em muitas mitologias: os Gregos chamavam-no de Helios e os Romanos chamavam-no de Sol.

   O Sol tem, atualmente, cerca de 75% hidrogênio e 25% hélio de massa (92,1% hidrogênio e 7,8% hélio em número de átomos); todos os demais ("metais") somam somente 0,1%. Isto muda lentamente ao longo do tempo a medida em que o Sol converte hidrogênio em hélio no seu núcleo.

   As camadas externas do Sol apresentam uma rotação diferencial: no equador a superfície rotaciona uma vez a cada 25,4 dias; próximo aos pólos já é cerca de 36 dias. Este estranho comportamento é devido ao fato de que o Sol não é um corpo sólido como a Terra. Efeitos parecidos são encontrados nos planetas gasosos. A rotação diferencial se extende consideravelmente ao interior do Sol mas o núcleo rotaciona com um corpo sólido.

   As condições no núcleo do Sol (aproximadamente os 25% interiores do seu raio) são extremas. A temperatura é de 15,6 milhões de Kelvin e a pressão é de 250 bilhões de atmosferas. No centro do núcleo do Sol a densidade é mais que 150 vwzes maior que a da água.

   A emissão de energia do Sol (cerca de 386 bilhões de bilhões de megawatts) é produzida pelas reações de fissão nuclear. A cada segundo cerca de 700.000.000 tons de hidrogênio são convertidos em cerca de 695.000.000 tons de hélio e 5.000.000 tons (=3.86 x 10³³ ergs) de energia em forma de raios gama. A medida em que viaja em direção à superfície, a energia é continuamente absorvida e re-emitida em temperaturas cada vez mais baixas de forma que quando chega à superfície, ela é principalmente luz visível. Pelos últimos 20% do caminho para a superfície a energia é transportada mais por convecção que por radiação.

   A superfície do Sol, chamada de fotosfera, tem uma temperatura de cerca de 5.800 K. Manchas Solares são regiões "frias", somente 3.800 K (elas parecem escuras somente por comparação com as regiões ao redor). As manchas solsres podem ser muito grandes, chegando a 50.000 km em diâmetro. As manchas solares são causadas por interações complicadas e ainda não muito bem conhecidas com o campo magnético do Sol.

   Uma pequena região conhecida como cromosfera encontra-se acima da fotosfera.

   A região altamente rarefeita acima da cromosfera, chamada de corona, se estende a milhões de quilômetros no espaço mas somente é visível durante eclipses (esquerda). As temperaturas na corona são acima de 1.000.000 K.

   O campo magnético do Sol é muito forte (para os padrões terrestres) e muito complicado. Sua magnetosfera (também conhecida como heliosfera) se estende bem além de Plutão.

   Além de calor e luz, o Sol emite uma corrente de baixa densidade de partículas carregadas (a maioria elétrons e prótons) conhecida como vento solar que se propaga através do sistema solar a cerca de 450 km/seg. O vento solar e as partículas de muito maior energia ejetadas pelas tempestades solares podem ter efeitos dramáticos na Terra variando de oscilação nas linhas de transmissão até interferência em ondas de rádio ou as belíssimas auroras boreais.

   Dados recém coletados pela espaçonave Ulysses mostram que durante o mínimo do ciclo solar o vento solar emanado das regiões polares flui aproximadamente no dobro da razão, 750 quilômetros por segundo, que flui nas mais baixas latitudes. A composição do vento solar também parece ser diferente nas regiões polares. Durante um máximo solar, entretanto, o vento solar se move a velocidades intermediárias.

   Estudos mais aprofundados do vento solar serão feitos pelas recém lançadas espaçonaves Wind, ACE e SOHO desde o ponto de vantagem dinamicamente estável diretamente entre a Terra e o Sol a cerca de 1,6 milhões de km da Terra.

   O vento solar tem grande efeito nas caudas dos cometas e até efeitos mensuráveis nas trajetórias das espaçonaves.

   Espetaculares loops e elevações são geralmente visíveis na extremidade do Sol (esquerda).

   As emissões do Sol não são inteiramente constantes. Nem a quantidade de atividade das manchas solares. Houve um período de muito baixa atividade das manchas solares na última metade do século 17 chamada o Mínimo Murmúrio. Isto coincide com um período anormalmente frio no norte da Europa algumas vezes conhecido como a Pequena Idade do Gelo. Desde a formação do sistema solar a atividade das manchas solares cresceu em cerca de 40%.

   O Sol tem cerca de 4,5 bilhões de anos. Desde seu nascimento ele usou quase a metade do hidrogênio em seu interior. Ele continuará a irradiar "pacificamente" por outros 5 bilhões de anos ou mais (embora sua luminosidade irá praticamente dobrar nesta época). Mas finalmente ele irá acabar com o seu combustível hidrogênio. Ele será então forçado a mudanças radicais que, apesar de comum pelos padrões estelares, irá resultar na total destruição do Terra (e provavelmente a criação de uma nebulosa planetária).

Os satélites do Sol

Existem oito planetas e um grande número de objetos menores orbitando o Sol. (Exatamente que corpos deveriam ser classificados como planetas e quais como "objetos menores" tem sido fonte de alguma controvérsia, mas no final é realmente só uma maneira de definição. Plutão não é mais considerado oficialmente um planeta, mas iremos mantê-lo aqui para simplificar a história)

 

Distância   Raio   Massa
Planeta (000 km) (km) (kg) Descobridor Data
--------- --------- ------ ------- ----------- -----
Mercúrio 57.910 2.439 3,30e23
Vênus 108.200 6.052 4,87e24
Terra 149.600 6.378 5,98e24
Marte 227.940 3.397 6,42e23
Júpiter 778.330 71.492 1,90e27
Saturno 1.426.940 60.268 5,69e26
Urano 2.870.990 25.559 8,69e25 Herschel 1781
Netuno 4.497.070 24.764 1,02e26 Galle 1846
Plutão 5.913.520 1.160 1,31e22 Tombaugh 1930

Dados mais detalhados e definição de termos podem ser encontrado na página de dados.

Mais sobre o Sol

Questões em Aberto

  • Existe um conexão entre o Mínimo Murmúrio e a Pequena Idade do Gelo ou foi apenas coincidência? Como as variações no Sol afetam o clima da Terra?
  • Já que todos os planetas exceto Plutão orbitam o Sol dentro de alguns graus do plano equatorial do Sol, nós conhecemos muito pouco sobre o ambiente interplanetário fora deste plano. A missão Ulysses irá fornecer informações sobre as regiões polares do Sol.
  • A corona é muito mais quente que a fotosfera. Por quê?

Onde ir em Seguida


 ... Visão Geral ... Sol ... Mercúrio ... Espaçonaves ... Dados  Astronomia na Web

Copyright © 1994-2014 by William A. Arnett; última atualização: 03/10/2010


Traduzido por Luis Gustavo Gabriel