Clique nos planetas para ir direto para eles
Home > Sol > Vênus

Busca no site:

Peça já o seu e-mail (nome@astronomia.web.st) do Astronomia na Web, com Tecnologia do Google. Acesse o Formulário de Solicitação e garanta o seu.




Vênus

O Portador da Paz

   Vênus é o segundo planeta desde o Sol e o sexto maior. A órbita de Vênus é mais próxima de circular de todos os planetas, com uma excentricidade de menos que 1%.

órbita:    108.200.000 km (0,72 AU) do Sol
diâmetro: 12.103,6 km
massa: 4,869e24 kg

   Vênus (Grego: Aphrodite; Babilônio: Ishtar) é a deusa do amor e da beleza. O planeta é assim chamado provavelmente por ser o mais brilhante dos planetas conhecidos pelos antigos. (Com raras exceções, as estruturas na superfície de Vênus são batizadas com nomes de personalidades femininas.)

   Vênus é conhecido desde os tempos pré-históricos. Ele é o mais brilhante objeto no céu exceto pelo Sol e pela Lua. Assim como Mercúrio, se pensava popularmente que eram dois corpos separados: Eosphorus como a estrela da manhã e Hesperus como a estrela do entardecer, mas os astrônomos Gregos conheciam o correto.(A aparição de Vênus como estrela matutina é chamada algumas vezes de Lúcifer)

   Já que Vênus é um planeta inferior, ele apresenta fases quando visto com um telescópio da perspectiva da Terra. A observação de Galileo deste fenômeno foi uma importante evidência em favor da teoria heliocêntrica de Copernicus para o sistema solar.

   A primeira espaçonave a visitar Vênus foi a Mariner 2 em 1962. Ele foi visitado subsequentemente por muitas outras (mais que 20 no total), incluindo a Pioneer Venus e a soviética Venera 7 a primeira espaçonave a pousar em outro planeta, e a Venera 9 que enviou as primeiras fotografias da superfície (esquerda). O primeiro orbitador, a espaçonave americana Magellan produziu mapas detalhados da superfície de Vênus usando o radar. A Venus Express da ESA está neste momento em órbita, com uma grande quantidade de instrumentos a bordo.

   A rotação de Vênus é um tanto rara já que ela é muito lenta e (243 dias da Terra para um dia de Vênus day, um pouco maior que um ano de Vênus) e retrógrado. Em suma, os períodos da rotação de Vênus e de sua órbita são sincronizados de tal forma que ele apresenta sempre a mesma faze para a Terra quando os dois planetas estão em sua maior aproximação. Se isso é um efeito de ressonância ou meramente uma coincidência não é sabido.

   Vênus é algumas vezes chamado de planeta irmão da Terra. Em alguns aspectos eles são muito similares:
       -- Vênus é somente um pouco menor que a Terra (95% do diâmetro da Terra, 80% da massa da Terra).
       -- Ambos têm poucas crateras indicando superfícies relativamente jovens.
       -- Suas densidades e composições químicas são semelhantes.
Devido a estas semelhanças, era imaginado que debaixo de suas densas nuvens Vênus poderia ser bem parecido com a Terra e poderia até abrigar vida. Mas, infelizmente, estudos mais detalhados de Vênus revelaram que em aspectos muito importantes ele é radicalmente diferente da Terra. Ele pode ser um dos lugares mais inóspitos do sistema solar.

   A pressão atmosférica de Vênus na superfície é de 90 atmosferas (aproximadamente a mesma pressão que a 1 km de profundidade nos oceanos da Terra). Ela é composta na maior parte por dióxido de carbono. Existem várias camadas de nuvens com muitos quilômetros de espessura composta de ácido sulfúrico. Estas nuvens obscurecem completamente a nossa visão da superfície. Esta atmosfera densa produz um efeito estufa que eleva a temperatura da superfície de Vênus em cerca de 400 graus até 740 K (quente o suficiente para fundir o chumbo). A superfície de Vênus é atualmente mais quente que a de Mercúrio apesar de estar duas vezes mais longe do Sol.

   Existem fortes ventos (350 km/h) nos topos das nuvens mas os ventos na superfície são muito lentos, não mais que alguns poucos quilômetros por hora.

   Vênus provavelmente um dia teve grandes quantidades de água como a Terra mas toda ela ferveu. Vênus é hoje completamente seca. A Terra teria tido o mesmo destino caso fosse um pouco mais perto do Sol. Nós podemos aprender muito sobre a Terra estudando porque o basicamente similar Vênus tornou se tão diferente.

   A maioria da superfície de Vênus consiste de suaves planícies com pouco relevos. Existem também algumas depressões largas: Atalanta Planitia, Guinevere Planitia, Lavinia Planitia. Existem duas áreas de montanhosas: Ishtar Terra no hemisfério norte (praticamente do tamanho da Austrália) e Aphrodite Terra ao longo do equador (praticamente do tamanho da América do Sul). O interior de Ishtar consiste principalmente de altos platôs, Lakshmi Planum, que é cercado pelas montanhas mais altas de Vênus inclusive a enorme Maxwell Montes.

   Dados do radar da Magellan mostram que a superfície de Vênus é coberta por correntes de lava. Existem vários grandes vulcões (similar ao Hawaii ou ao Olympus Mons) tais como o Sif Mons (direita). Recentemente anunciaram achados que indicam que Vênus é ainda ativo vulcanicamente, mas somente em uns poucos pontos quentes; para a maior parte ele tem estado especialmente quieto do ponto de vista geológico nos últimos cem milhões de anos.

   Não há crateras pequenas em Vênus. Parce que pequenos meteoróides se queimam na densa atmosfera de Vênus antes de atingir a superfície. Crateras em Vênus parecem vir em grupos indicando que grandes meteoróides que chegam à superfície geralmente se partem na atmosfera.

   Os mais antigos terrenos em Vênus parecem ter cerca ce 800 milhões de anos. O extenso vulcanismo desta época destruiu a superfície original incluindo quaisquer grandes crateras da história inicial de Vênus.

   Imagens da Magellan mostram uma grande variedade de estruturas interessantes e únicas incluindo os pancake volcanoes - vulcões panqueca (esquerda) que parecem ser erupções de lava muito compacta e coronae (direita) que parece ser domos desmoronados sobre grande câmaras de magma.

   O interior de Vênus é provavelmente muito parecido com o da Terra: um núcleo de ferro de aproximadamente 3.000 km de raio, um manto de rocha derretida englobando a maior parte do planeta. Recentes resultados dos dados de gravidade da Magellan indicam que a crosta de Vênus é mais forte é grossa que havia sido anteriormente suposta. Como na Terra, a convecção no manto produz estresse na superfície que é aliviada em relativamente pequenas regiões ao invés de ficar concentrada nos limites das placas como no caso da Terra.

   Vênus não possui campo magnético, talvez pela sua baixa rotação.

   Vênus não possui satélites, e por conta disso carrega um conto.

   Vênus é geralmente visível a olho nu. Algumas vezes (erradamente) chamado de "estrela da manhã" ou "estrela do entardecer", é de longe a mais brilhante "estrela" no céu. Existem vários Web sites que mostram a posição atual de Vênus (e outros planetas) no céu. Cartas mais detalhadas e customizadas podem ser criadas com um programa planetário como o Starry Night.

Em 8 de junho de 2004, Vênus passou diretamente entre a Terra e o Sol, aparecendo como um grande ponto negro cruzando o disco solar. Este evento é conhecido como um "trânsito de Vênus" e é muito raro: o último foi em 1882, o próximo será em 2012 e após este você terá que esperar até 2117. Apesar de não ter mais nenhuma importância científica como era no passado, este evento aumentou o interesse de muitos astrônomos amadores.

Mais sobre Vênus

Questões em aberto

  • Há alguma evidência de expansão e enrugamento na superfície de Vênus e de recente erupções vulcânicas. Mas não há evidências de placas tectônicas como visto na Terra. Será isto resultado das altas temperaturas na superfície?
  • O efeito estufa é muito mais forte em Vênus que na Terra devido à densa atmosfera de dióxido de carbono. Mas por que Vênus evolui tão diferentemente da Terra?

Onde ir em Seguida


 ... Sol ... Mercúrio ... Vênus ...  Terra ... Dados  Astronomia na Web

Copyright © 1994-2017 by William A. Arnett; última atualização: 02/10/2010


Traduzido por Luis Gustavo Gabriel